Você sabe que existem empresas à venda?

Um mercado que tem crescido muito nos últimos anos é o de aquisição e fusões de empresas.

O crescimento econômico dos anos até 2015 permitiu que muitas pessoas empreendessem em negócios próprios, gerando um cenário de crescimento que or sua vez gerava consumo e mais empresas dispostas a disputar mercado.

A crise que vem desde 2016 não só freou muito o aparecimento de novas empresas como colocou milhares na vitrine, não só para a venda mas também para a entrada de novos investidores, criando ou ampliando sociedades.

Empresas à venda não significa baixa qualidade para investimento

Ao contrário do que muitas pessoas podem supor, as empresas colocadas à venda não representam um mau negócio – pode ser exatamente o oposto.

A taxa de mortalidade de empresas com até 2 anos de vida no Brasil é bastante alta, mas a maioria dessas empresas são negócios que têm saúde financeira para serem administrados por novos donos, continuar e aumentar o faturamento e os resultados.

Pelo próprio dinamismo que os anos de estabilidade e de bons números da economia brasileira deram, o empreendedorismo cresceu o suficiente para que pessoas chegassem ao sucesso e muitas infelizmente não.

Mas em ambos os casos, as empresas podem se revelar ótimas oportunidades para quem desejar começar a vida empresarial de uma forma mais rápida e mais estruturada.

Quais as vantagens de comprar uma empresa?

Começar com um negócio existente pode trazer alguns benefícios:

  • Alugar ou comprar um ponto comercial e construir nele a estrutura necessária, quando for apenas o terreno;
  • Economizar as despesas de abertura e regularização, além de certificar a empresa conforme a área de atuação;
  • Comprar uma marca e uma linha de produtos que já têm uma imagem no mercado;
  • Economizar na compra de equipamentos, mobiliário, sistemas e rede;
  • Contar com um quadro de funcionários que já conhece o produto e assim não há interrupção dos trabalhos.

Quais os cuidados para comprar uma empresa?

Os cuidados são muitos para quem quer investir em uma empresa que já existe e está funcionando.

É um negócio de alto valor e precisa que vários pontos sejam avaliados com muito critério antes de prosseguir com a negociação. Os principais são:

  • Saúde dos resultados financeiros detalhados;
  • Resultados dos demonstrativos contábeis;
  • Débitos pendentes e dívidas executadas com bancos e empresas;
  • Débitos com o Estado;
  • Ações e processos trabalhistas;
  • Volume da carteira de clientes e se ela é diversificada, impedindo que a empresa fique concentrada em poucos – um risco maior à medida que a complexidade e o valor do produto aumenta;
  • Lista de fornecedores e se há dependência de poucos;
  • Imagem dos produtos e da marca no mercado consumidor;
  • Nível de reclamações nos sites de defesa do consumidor;

Como podemos ver, é uma análise minuciosa e que ainda tem outros indicadores a ser avaliados, que você pode ver em empresas à venda.

Por que as pessoas vendem empresas?

Certamente um grande motivo – e que inspira mais cuidados – é a situação financeira da empresa – os resultados a levam a uma situação difícil para manter-se, mas ainda está em condições de ser gerida e dar resultados.

Mas existem também os motivos circunstanciais e que não depõem contra a imagem da empresa – e podem até ajudar, pois não impactam diretamente no negócio.

01 – Falta de capital

A empresa precisa de recursos para crescer mas eles não existem. Pode ser o momento do atual dono lucrar com a venda e entregar a quem tem mais condições de investir.

02 – Separações matrimoniais

É um motivo bastante comum, dificilmente as partes consegue gerir a empresa juntas. A compra desta empresa pode ser uma boa oportunidade para o comprador, pois ela pode estar em boa situação financeira.

03 – Desentendimento na sociedade

Em muitos casos não há mais condições dos sócios continuarem juntos – como diz a máxima sociedade é como casamento, só que pior. Neste caso, tanto há a venda total da empresa quando a oferta de uma das partes.

04 – Desmotivação com o setor

Esse motivo é bastante comum depois da fase de crescimento; muitas pessoas se frustraram com a dinâmica do negócio ou esperavam mais lucratividade. É uma boa oportunidade para quem é conhecedor do ramo.

05 – Dificuldades financeiras extremas

Essa é uma situação de extremo risco para quem está comprando, principalmente em relação a dívidas com funcionários, fornecedores e compromissos não honrados com clientes. A escolha deve ser avaliada com muito critério. O desespero dos atuais donos, tentando evitar que o patrimônio pessoal seja usado para quitar dívidas, pode funcionar como um redutor de preço interessante.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *